O melhor Site de Notícias de Indaial

Advogado suspeito de matar a namorada em Balneário Camboriú se entrega à polícia

Ele ficou mais de 24 horas na sacada do apartamento em que mora ameaçando se jogar

O advogado suspeito de matar a namorada a facadas dentro de um apartamento no Centro de Balneário Camboriú, no Litoral Norte catarinense, se entregou à Polícia Militar por volta das 18h30, após pouco mais de 24 horas de negociação. A vítima foi identificada como a advogada Lucimara Stasiak, de 29 anos.

Paulo Carvalho de Souza, de 42 anos, saiu preso do local por volta das 19h e foi levado para a delegacia. Depois, uma equipe do Instituto Médico Legal (IML) recolheu o corpo da mulher.

Desde o início da noite de terça-feira (2), a polícia fez cerco no apartamento para realizar a prisão do namorado, que estava trancado na sacada do sétimo andar do prédio e afirmava ter uma arma. Ainda segundo a polícia, durante a negociação o suspeito confessou que matou a namorada a facadas.

A PM informou que os dois moravam há cerca de seis meses no local e que a família da vítima estranhou a falta de contato por parte dela desde quinta (27).

Não havia nenhum boletim de ocorrência contra o advogado em Santa Catarina, segundo a Polícia Militar.

A rua do prédio ficou isolada durante a negociação. Equipes da Polícia Militar, Guarda Municipal, Batalhão de Operações Especiais (Bope), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e Corpo de Bombeiros participaram do atendimento da ocorrência.

Conforme a família, Lucimara sonhava em ser juíza. Ela tinha ido de Curitiba (PR) para Florianópolis há cinco anos e trabalhava num escritório de advocacia.

OAB-SC

Por nota, a Ordem dos Advogados do Brasil seccional Santa Catarina (OAB-SC), manifestou “profundo pesar e repúdio” ao assassinato da advogada “em mais um caso de feminicídio” e afirmou que acompanha o caso.

“A OAB catarinense atua pela igualdade de gênero, pelo protagonismo feminino em todas as camadas da sociedade e reiteradamente tem se posicionado pelo fim da violência contra a mulher, inclusive realizando ações junto à sociedade por intermédio das nossas comissões temáticas”, disse o presidente da OAB-SC, Rafael Horn, por meio da nota.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.